English (UK)SpanishESFrenchfr-FRItalian (IT)Portuguspt-PT
Facebook Image

ATIVIDADES
A Convergência das Culturas em ação. Atividades recentes das diferentes equipes no mundo.
Ver  
DOWNLOADS
Baixe materiais e documentos elaborados pelas equipes de base da Convergência das Culturas.
Ver  
GALERIAS
Aqui você vai encontrar diversas galerias fotográficas de eventos, atividades e campanhas.
Ver  
MULTIMÍDIA
Colocamos imagem e som em nossas atividades. Seleção de vídeos, filmes e apresentações.
Ver  

​ 

Login Form

 

Convergência das Culturas
CdCConvergência das Culturas é um organismo que faz parte do Movimento Humanista. Este surgiu em 4 de maio de 1969, com uma exposição pública de seu fundador, Silo, conhecida como "A Cura do Sofrimento", em uma paragem montanhosa nos Andes chamada Punta de Vacas, próxima da fronteira entre Argentina e o Chile.
O Movimento Humanista se baseia na corrente de pensamento conhecida como Novo Humanismo ou Humanismo Universalista. Ele se encontra exposto na obra de Silo e na dos diversos autores que nela se inspiraram.
Este pensamento, que implica também um sentimento e uma forma de vida, se plasma em múltiplos campos das tarefas humanas, dando origem a diversos organismos e frentes de ação. Todos eles se aplicam em seus campos específicos de atividade com um objetivo em comum: Humanizar a terra, contribuindo assim para aumentar a liberdade e a felicidade dos seres humanos.
Outros organismos surgidos do mesmo Movimento humanista são o Partido Humanista, A Comunidade para o Desenvolvimento Humano, Mundo Sem Guerras e sem Violência e o Centro Mundial de Estudos humanistas.
Âmbitos de diálogoAmbitos de diálogo

É imprescindível o encontro e o diálogo entre seres humanos de culturas diferentes que ao olharem-se possam dizer: "eu existo porque tu existes".

No entanto a intenção de apropriar-se do todo por parte de uma minoria e as propostas intolerantes de uns líderes que cavalgam sobre a falta de futuro de indivíduos e povos, seguem justificando e alimentando o choque de culturas, a discriminação e a violência.

Hoje é necessária a formação de âmbitos onde se resgatem as ideias, as crenças e as atitudes humanistas de cada cultura que, além de toda diferença, se encontram no coração dos diferentes povos e indivíduos.

A Mundialização

Na sociedade atual, a convivência entre diferentes culturas é um fato cotidiano. Mas o extraordinário deste momento histórico é que se trata de um momento de mundialização, onde todas as culturas se aproximam e se influenciam mutuamente, como nunca antes havia acontecido.
mundializacion
Não estamos falando somente do fato de que, hoje, as pessoas de todo o planeta podem se comunicar graças aos avanços na tecnologia das comunicações, mas também do acúmulo histórico de fenômenos como o colonialismo e o imperialismo, a enorme disparidade nas condições de vida e de sobrevida entre diferentes áreas do mundo, os contínuos movimentos migratórios massivos, mostrando o multiculturalismo no interior dos que continuam ainda sendo considerados "territórios dos estados nacionais".

Mundialização e Globalização.globalizacion

É importante diferenciar entre este processo de mundialização crescente e a globalização.

A tão mencionada globalização não é senão outra coisa que o tradicional comportamento que impulsionou os centros imperiais. Como aconteceu reiteradamente na história, esses impérios se instalam, se desenvolvem e fazem girar ao seu redor outros povos, tratando de impor sua língua, seus costumes, sua vestimenta, sua alimentação e todos seus códigos.

Finalmente essas estruturas imperialistas terminam gerando violência e caos, produto de seu ingênuo atropelo e da confrontação cultural..

Nossas Propostas
1. Facilitar e estimular o diálogo entre as culturas
2. Lutar contra a discriminação e a violência
3. Levar sua proposta a todas as latitudes

propuestasConvergência das Culturas é uma organização de caráter mundial; neste sentido seus membros, independentemente do lugar onde atuam, se sentem parte da mesma ação mundial humanizadora que se expressa de maneira diversa, mas convergente.

A participação está aberta a toda pessoa, sem discriminação alguma.
Todo aquele que esteja vendo esta apresentação, pode começar a participar em CC desde já.

As relações e as condutas pessoais e grupais se baseiam na Regra de Ouro: “Trata aos demais como queres ser tratado”.

A Atitude Humanista

Quando nos referimos a uma atitude humanista, nos referimos aos seguintes seis pontos:

  • A colocação do ser humano como valor e preocupação central.
  • A afirmação da igualdade de todos os seres humanos.
  • O reconhecimento da diversidade pessoal e cultural.
  • A tendência ao desenvolvimento do conhecimento acima do aceito ou imposto como verdade absoluta
  • A afirmação da liberdade de ideias e crenças
  • O repúdio à violência

Atividades
As Equipes de Base realizam reuniões periódicas de intercâmbio, esclarecimento ideológico e organização de diversas atividades.

Basicamente, estabelecem contato permanente com comunidades de diferentes culturas, associações e pessoas com interesse de difundir e organizar, de modo conjunto, as atividades próprias do organismo.

Tenerife
Entre as atividades mais importantes se destacam as seguintes:

Organização de conferências, exposições, fóruns, encontros culturais e artísticos, com a participação de membros das diferentes culturas.

Participação de seus membros em atividades organizadas por outras entidades com temas afins (por exemplo: cúpulas, conferências, exposições).

Campanhas internacionais, regionais, nacionais e locais do organismo.

Organização e participação em manifestações de denúncia contra a discriminação.

Campanhas específicas de denúncia com o objetivo de divulgar os conflitos e as arbitrariedades que as distintas comunidades sofrem.

Distribuição de material de difusão às comunidades de diferentes culturas nos distintos países, com a intenção de difundir e unir pessoas e organizações em torno ao estudo e às atividades da Convergência das Culturas.

Difusão da informação sobre diferentes culturas em escolas com a participação de membros das distintas comunidades.

Elaboração de publicações e produção de programas de TV, rádio, vídeos, websites, boletins, jornais, etc.

Organização de seminários, bate-papos, apresentações sobre temas importantes, tanto para seus membros como para o público em geral.

Disponibilizar a seus membros os materiais de formação pessoal baseados no Manual do Movimento Humanista.

Organizaçâo
A Convergência das Culturas é uma organização de caráter mundial; neste sentido seus membros, independente do lugar onde atuam, se sentem parte da mesma ação mundial humanizadora que se expressa de maneira diversa, mas convergente.

Suas formas de participação são abertas e flexíveis. Trata-se de uma organização de base humana, na qual cada pessoa é responsável por aquilo que impulsiona e constrói.

As estruturas básicas (e fundamentais) da Convergência das Culturas são as "equipes de base" que desenvolvem suas atividades ao nível do bairro, de escolas, de universidades, de lugares de trabalho, por internet, etc.

Qualquer grupo, organização ou agrupamento que, sem perder sua própria identidade, manifesta sua adesão aos princípios que inspiram à C.C., poderá solicitar sua inclusão como "aderente" da C.C. e manter com esta, relações de mútua colaboração.

Ver más información en Cuaderno de Convergencia de las Culturas.
As "Equipes da Convergência
das Culturas" (grupos de base)

Desde sua formação, as Equipes da C.C., impulsionam a colocação em marcha de três mecanismos ou funções para seu crescimento:

  1. Crescimento: orienta sua ação até outras pessoas, para outras redes e organizações com o objetivo de fazer conhecer seus planejamentos, propostas e ferramentas.
  2. Comunicação: mantém uma fluida comunicação e intercâmbio com outras equipes da C.C. e com outras organizações afins a seus objetivos.
  3. Formação: atende à progressiva formação de seus membros pondo a sua disposição as ferramentas para seu desenvolvimento pessoal, cultural e social.

Estas equipes da Convergência das Culturas geram vínculos com outros grupos e organizações de seu meio, mas por nenhum motivo estabelecem uma relação orgânica com nenhum deles.

Materiales
Materiales de Formación y consulta Autor Formato
Cuaderno de Convergencia de las Culturas Trabajo en equipo 1download
Manual de Formación para los Miembros del MH. Trabajo en equipo 1download
Autoliberación (material de apoyo y consulta) L. A. AMMANN 1download
Materiales reunión de Punta de Vacas Autor Formato
Noción de Cultura C. Miconi 1download
Power Point sobre organización E. Perez 1download
Materiales de Difusión Autor Formato
Logotipo de la Convergencia de las Culturas R. Edwards 1download
Logotipo de la Convergencia de las Culturas R. Edwards 1download
​ 
 

Statement on the EU Migration Summit

No a la fosa comun en la frontera sur de la Union Europea

 

In view of the agreements reached on migration and asylum at the last summit of European leaders held on the 28th and 29th of June, we, the undersigned organisations, express our firm rejection of the content and substance of the resolutions adopted at a meeting, which was expected to provide a necessary and hopeful response to the vital situation that thousands of human beings, forced to leave their places of origin, are suffering.

At that summit, agreements were reached, which in reality are not agreements to anything, giving free rein to each country to do what it wants; agreements that reinterpret the right to asylum, modifying rules to cover up the continuous violations of international and European law in matters of asylum and reception; agreements taken from the point of view of dealing with “human flesh”, thereby giving way to the more regressive and xenophobic approaches that are beginning to emerge in several countries of the Union; agreements that ignore the clamour of the majority of the population in solidarity with migrants and the willingness of hundreds of towns and cities willing to welcome them there.

But perhaps the most shameful thing is that, while many human beings are dying in their attempts to cross the Mediterranean, European leaders centred their discussions on whether to create ‘disembarkation platforms’ within Europe or whether to do so in third countries. There was no self-criticism, no reflection on the responsibility that Europe has had in the generation of conflict; no recognition of the plundering that Europe has carried out and continues to carry out in those countries from where migrants come; no review of its lucrative policy of invasions (as NATO members) and arms sales, which ends up supplying the countries in conflicts from where people flee today.

They basically talked about where to place “disembarkation platforms”, in other words, prisons for foreigners or, more accurately, concentration camps, with the ultimate aim of returning migrants to their precarious countries of origin. It is one more atrocious and dehumanizing step in the direction of the already questioned “Immigration Detention Centres”. Europe cannot torpedo its humanist foundations in order to give in to the racist and fascist ultra-right with a policy that once again criminalizes foreigners, migrants, those who are different and those in solidarity with them, either inside or outside the region.

Human life is sacred and, in the conviction that there will be no progress if it is not for all and by all, we, the undersigned organisations, urge European governments to give a coherent and urgent response by taking measures such as:

  • Dismantling all immigration detention centres and abandoning all attempts to create prisons for migrants in any form.
  • Eliminating ‘fences’ in different countries of the Union.
  • On the contrary, moving towards the elimination of borders, which only exist to separate the poor and have no reality for capital and the increasingly scandalously rich minority of the planet.
  • Preventing the taxes of European citizens from being used for ‘border surveillance’, the ‘outsourcing’ of borders and the creation of ‘prison-platforms’. We propose that these funds be targeted to other areas, such as the reception of these human beings arriving in Europe.
  • Ending the criminalization of migrants and refugees. No human being is illegal!
  • Ceasing the criminalisation of NGOs and aid workers who put their efforts into saving human lives, as well as penalising those countries that hinder their work (as in the case of the continuous sabotage of the humanitarian ships Aquarius, Lifeline and Open Arms).
  • Investigating these policies and considering them as crimes against humanity.
  • Enabling legal entry channels into Europe for a real and effective fight against the mafia groups that speculate on the trade in human beings. Not only by creating ‘humanitarian corridors’, but, above all, by providing documents for legal entry into Europe.
  • Creating a policy of reparation to those countries which Europe has been ransacking for centuries.
  • Comprehensively controlling arms sales to countries in conflict, be these sales made directly or indirectly via third countries.
  • Stopping to follow US orders, through NATO; stopping the occupation of territories and the bombing of populations who are forced to flee in order to save their lives and the lives of their loved ones.
  • Scrupulous compliance with the Declaration of Human Rights as well as international laws on asylum and migration.

In the meantime, we call on people to maintain this spirit of solidarity which is rooted in our best European humanist traditions. We must continue to give a lesson in dignity to our shameful political leaders by working with the tens of thousands of citizens who are offering their homes and with the neighbourhood networks that are being set up to give urgent attention to those who arrive in their cities, as well as by supporting the new generation of leaders who, in their towns and cities, are taking on the responsibilities that national governments and European institutions are incapable of doing.

Convergence of Cultures

Madrid, 3rd July, 2018

Signed by:

Convergencia de las Culturas
Redes Cristianas
Iglesia Evangélica Española
Energia per i Diritti Umani Onlus – Roma
Diritti al Cuore Onlus – Roma
Salute Migrante – Roma
Pressenza International Press Agency
La Asociación Mujeres Humanistas por la Noviolencia
FICNOVA, Festival Internacional de cine de la noviolencia activa
Humanistas por la Renta Básica Universal
Coalición de Tendencias Clasista (CTC-VZLA)
Comunidades de "El Mensaje de Silo" de Villaverde, Vallecas, Alcalá de Henares, Leganés, Madrid ("Comunidad la Realidad Interna", "Comunidad La mirada interna"); Comunidades de "El Mensaje de Silo" de Llinars del Vallés (Barcelona), Comunidad de "El Mensaje de silo" de Gracia (Barcelona)
World without Wars and Violence, Greece
Asociacion Cultural y Social "Puentes No Muros"
Convergencia de las Culturas, Chile
Partido Humanista, España
Partido Humanista, Bélgica
Partito Umanista, Itallia
Humanist Party, Iceland

Partido Humanista Internacional
Eleonora Forenza, eurodiputada de Rifondazione Comunista-Potere al Popolo
Abarekà Nandree Onlus
Comitato Nuovi Desaparecidos, Italia
Coordinadora Estatal de Mareas Blancas

 

 

Semana de los Derechos Humanos y del Migrante

En Madrid, Convergencia de las Culturas nos disponemos a celebrar de un modo reivindicativo dos fechas muy señaladas: El Día de los Derechos Humanos y el Día de las personas migrantes, que se suceden en el espacio de una semana. Si bien esos dos días conmemoran que los derechos humanos en general y los de los migrantes en particular fueron asumidos por todos los gobiernos del mundo, es de destacar que igualmente esos derechos son violados en todas las latitudes.

En estos últimos meses hemos comprobado, una vez más, cómo los gobiernos actuales van muy por detrás en el proceso de avance de la Humanidad, mientras los pueblos dejan entrever al nuevo Ser Humano solidario y no-violento.

En esta semana de los Derechos Humanos y del Migrante reafirmarenos lo expuesto por el pensador y fundador del Movimiento Humanista, Silo, en su obra “Humanizar la Tierra”:

"Los Derechos Humanos no pertenecen al pasado, están allí en el futuro succionando la intencionalidad, alimentando una lucha que se reaviva en cada nueva violación al destino del hombre. Por esto, todo reclamo que se haga a favor de ellos tiene sentido porque muestra a los poderes actuales que no son omnipotentes y que no tienen controlado el futuro.”

 

STOP MARE MORTUM [Barcelona - Spain]

Stop1

 

In Barcelona, ​​the public platform "STOP MARE MORTUM", in which is included the team FUTURE - Convergence of Cultures, held a rally to demand the creation of a real network of welcoming refugees municipalities in Catalonia.

The rally on Friday, September 4 was held before the meeting of Cities for the Common Good, organized by the city of Barcelona, ​​with the presence of mayors from other Spanish cities who had declared their willingness to act as "cities of refuge" .

Stop2

 

Continuar...

We worry about silence [Buenos Aires - Argentina]

CC-notaARGjul15-439

Declaration of Convergence of Cultures in Argentina:

Past wednesday 29 of July took place a press conference on indigenous people Formosa, waiting for a responde of the Governement:

Continuar...

Free Market in the neibourghood [Madrid - Spain]

For second year, Convergence of Cultures has made a "free fair" in La Latina (Madrid), where the neighbours have joined and opportunity of giving, receiving, and sharing things, everithing without money.

gratiferia1-439

Continuar...

Copyright © 2018 Convergence of Cultures. Todos os direitos reservados.
Joomla! software livre. Licença GNU GPL.